A UTILIZAÇÃO MEDICINAL DO CANABIDIOL COMO RECURSO TERAPÊUTICO: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Francisco Eduardo Ferreira Alves

Resumo


A Cannabis sativa possui cerca de 60 tipos de canabinóides, dentre os quais o tetrahidrocanabinol (THC) e o canabidiol (CDB) apresentam finalidade terapêutica. O THC, por sua vez, possui propriedades que geram efeitos cognitivos e psicológicos, promovendo conflitos de interesse na condição de comercialização. No entanto, o canabidiol vem recebendo expressiva atenção na comunidade científica e médica. Dessa forma, o presente estudo objetivou identificar, a partir de evidências científicas, as características da utilização medicinal do canabidiol como recurso terapêutico. Trata-se de uma revisão de literatura com agrupamento dos dados e síntese do conhecimento acerca da temática, em que foram usadas as bases acadêmicas: Medical Literature Analysis and Retrieval System on-line (MEDLINE), Literatura Latino-Americana em Ciências de Saúde (LILACS), Scientific Electronic Library Online (SciELO) e Google Acadêmico, usando os descritores Canabidiol, Uso Terapêutico do canabidiol, Toxicidade, Dependência. Os resultados apontam que o canabidiol é uma substância promissora, caracterizada por exercer seus efeitos farmacológicos por uma diversidade de mecanismos de ação, e foi recentemente excluída da lista de substâncias não prescritas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Observaram-se algumas aplicações terapêuticas, como antipsicótico, ansiolítico, antidepressivo e em diversas outras condições com resultados satisfatórios, formulados à base de Cannabis sp. e seus derivados disponíveis no mercado. No entanto, algumas limitações devem ser enfrentadas, especialmente porque outros canabinódes e a própria Cannabis sativa continuam proscritos no Brasil, uma vez que o uso indiscriminado dessas substâncias pode causar intoxicação e dependência.

Palavras-Chaves: Canabidiol; Uso Terapêutico do canabidiol; Toxicidade; Dependência.



Referências


AGUIAR, Fabio Alex Santana Aguiar. Uso Medicinal Para o Tratamento da Dor e Ação Neuroprotetora. 2017. 37f. Monografia (Obtenção do Título de Biomédico) - Laureate International Universities, Rio de Janeiro.

ALEXANDRE, R. Canabinoides: conheça os principais compostos da maconha e suas propriedades medicinais. Disponível em https:// abraceesperanca. Com.br/2015/11/canabinoides-cobheça-os principais- compostos-da-maconha-e- suas-propriedades- medicinais. Acesso: 05/06/2017.

BENTES, L. Ponham as cartas na mesa e discutam essas leis: a Luta pela legislação da maconha no Brasil. Argumentum, v. 7, n. 1, p. 93- 107, 2015.

BRAGATTI, J. A. O Uso do Canabidiol em Pacientes com Epilepsia. Universidade Federal do Rio grande do Sul. Revista da AMRIGS, Porto Alegre, 59 (1): 60, jan.-mar. 2015.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. ANVISA.Canabidiol é reclassificado como substância controlada. 2015. Disponível em: . Acessado em 22 de Maio de 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas da epilepsia. Retificada em 27 de novembro de 2015. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2015/dezembro/01/PT-SAS-N--1319- Epilepsia-retificada.pdf. Acesso 18.02.2020.

BRUCK, Sonia M. D. et al. Cannabinoids in neurology – Brazilian Academy of Neurology. Revista Arq. Neuro-Psiquiatr. vol.73 no.4, 371-374, São Paulo, 2015.

CARCUTE, D. Os perigos do uso inadequado de medicamentos. Brasília/DF, 2012. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2015/maio/05/nota-050515.pdf>. Acesso feito em: 30 de Novembro de 2015.

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Resolução CFM nº 2.113/2014, de 30 de outubro de 2014. Aprova o uso compassivo do canabidiol para o tratamento de epilepsias da criança e do adolescente refratárias aos tratamentos convencionais. Diário Oficial da União. Brasília, 16 dez2014.Disponívelem

FREITAS, A. G. P. LUCENA, Karla Camilla Lins; EDUARDO, Anna Maly de Leão e Neves; ALCÂTARA; Guizelle Aparecida de; PINHEIRO, Guilherme Junio Pinheiro. O uso do canabidiol (CBD) em doenças neurológicas: uma análise da situação no Brasil. Revista de Iniciação Cientifica e Extenção- REIcEn. 2019.

GIACOPPO, Sabrina et al. A new formulation of cannabidiol in cream shows therapeutic effects in a mouse model of experimental autoimmune encephalomyelitis. Journal of Pharmaceutical Sciences. P .23-48. Oct. 2015. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4618347/pdf/40199_2015_Article_131.pdf. Acesso em: 21 de Fev de 2020.

GONTIJO, Erica Cardoso; CASTRO, Geysilla Lorrany; PETITO, Anamaria Donato de Castro; PETITO, Guilherme. Canabidiol e suas complicações Terapêuticas. Revista Refacer v. 5, n. 1, 2016.

JESUS, Antônio Carlos Justo de; FERNANDES, Luis Rodrigues; ELIAS, Paloma Sampaio; SOUZA, André Ricardo Gomes de. Legalização da maconha para fins Medicinais. Revista do Curso de Direito da Universidade Braz Cubas, v. 1, n.1, Maio, 2017.

KOZELA, Ewa et al. Cannabidiol, a non-psychoactive cannabinoid, leads to EGR2-dependentanergy in activated encephalitogenic T cells. p.12: 52. Mar. 2015. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4363052/pdf/12974_2015_Article_273.pdf.Acesso em: 21 Fev 2020.

MATOS, R. L. A. et al. O uso do canabidiol no tratamento da epilepsia. Revista Virtual de Química, Niterói, v. 9, n. 2, p. 786-814, 2017.

MAYER, L. S; NUNES, K. T.; MARQUES. O. M,; MACÊDO, C. L. Ação da Canabis e todos os custos industriais incorridos no processo produtivo terão seu reconhecimento final quando da venda dos produtos produzidossativa no combate à émese provocadas pelos anteneoplasticos. Revista: Ciênc. Saúde Nova esperança. v 13, n 1. 112. 19, de jun. 2015.

MELO, L. A.; SANTOS, A. O. O uso do Canabidiol no Brasil e o posicionamento do órgão regulador. Cadernos Ibero-Americanos de Direito Sanitário, Brasília, DF, v. 5, n. 2, p. 43-55, 2016.

MIRANDA, R. C. O Canabidiol: Seu Uso No Brasil. 2016. 25 f. Monografia (Grau de Bacharelado em Farmácia) - Faculdade de Educação e Meio Ambiente – FAEMA, Ariquemes – RO.

OLIVEIRA, Kauanna Lamartine Brasil; LIMA, Thaís Palma Silva. Cannabis Sativa: Potencial Terapêutico. 2016. 24f. Monografia (apresentada como requisito parcial à obtenção do grau de Bacharel em Biomedicina) – Faculdade São Lucas, Porto Velho-RO.

PINTO, W. S.; CIPRIANO, V. T. F. Uso terapêutico de canabinoides: perspectivas e implicações no contexto forense. Revista Acta de Ciências e Saúde, v. 1, n. 4, p. 13-30, 2015.

SANTOS, Arnóbio Barros; SCHERFB, Jackelyne Roberta; MENDES, Rafael de Carvalho. Eficácia do canabidiol no tratamento de convulsões e doenças do sistema nervoso central: revisão sistemática. Revista Acta Brasiliensis, 3(1): 30-34, 2019.

SANTOS, R.G. Um panorama sobre a maconha. Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre Psicoativos (NEIP). 2009. Disponível em: . Acessado em 15 de Maio de 2016.

SILVA, A. S. et al., A maconha nas perspectivas contemporâneas: benefícios e Malefícios. Revista Científica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente. FAEMA. Ariquemes, v.9 n. 2, p. 786 795 jul. dez. 2018.

SILVA, Adriana Souza da; GOMES, Jayne; PALHANO, Morgana Bonfim; ARANTES, Ana Claudia Yamashiro. A maconha nas perspectivas contemporâneas: benefícios e malefícios. Revista Cientifica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente - FAEMA, Ariquemes, v. 9, n. 2, p. 786-795, jul.-dez. 2018.

SILVA, Daniele Oliveira Ferreira da, et. al. O Uso do Canabidiol no Tratamento da Ansiedade. Rev Med Saude Brasilia, 6(2):255-60, 2017.

SOARES, Milena Karla. Proibicionismo e poder regulatório: uma análise do processo de classificação de substâncias. 2016. 61 f. Monografia (Requisito parcial para obtenção de grau de Bacharel em Direito) - Faculdade de Direito. Universidade de Brasília, Brasília.

SOUZA, Yago Pereira. Sínteses e Aplicações Recentes do ? 9 -Tetraidrocanabinol (THC) e seus Derivados em Química Medicinal. 2017.32 f. [Monografia] Universidade Federal de São João del-Rei. São João del-Rei.

TURNER, A. R.; AGRAWAL, S. Toxicity, Marijuana. Treasure Island: StatPearls Publishing, 2017.

JULIÃO, Alcineide M. de S; DIAS, Germana B.; VALENÇA, Lincoln C. Canabidiol: os recursos terapêuticos da maconha. Health and Diversity (Online), v. 1, p 89-86, 2017.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.